O vendedor invisível e as influências na construção de sua identidade

O vendedor invisível e as influências na construção de sua identidade

A construção da identidade do vendedor comprovadamente acontece a partir da qualidade de reconhecimento que será elaborada ao longo de seus anos de vida e nesse delicado pathway de sua formação, a mediação/atuação do Diretor de vendas se faz fundamental para que o \”pupilo\” desenvolva habilidades e consiga, ao longo do desenvolvimento, ser plenamente competente no exercício de decisões.

Incontáveis influências gravitam na formação do vendedor, razão pela qual, Diretores, Supervisores e Chefes, diretamente inseridos na área de Vendas ou não, devem obrigatoriamente percorrer, o por vezes longo e tortuoso caminho da formação profissional, como se fossem uma família a passear no parque de mãos dadas em um dia de verão, e assim alcançar de forma mais satisfatória a tarefa de transmitir os valores necessários para essa formação.

No entanto, parece natural que Diretores, profundamente alertas no dia a dia das atividades do Departamento de vendas, tenham o papel principal nesse processo e as demais frações da área adotem a condição de co-responsáveis por esse visionamento de sucesso na orientação e consequente formação, ou seja, os demais lidam com o resultado das vendas, o primeiro opera diretamente na formação dos valores de reconhecimento do vendedor.

O processo pós-globalização, intitulado como mundialização, solidificado ao extremo no momento pós-crise-mundial, reestruturou os conceitos de formação profissional-educacional ao redor do globo e elevou os \”tempos\” de permanência de profissionais em cursos e treinamentos, de forma física ou virtual, tornando-os não somente mais efetivos, mas igualmente renováveis, oferecendo um novo cenário de inversão de valores, no qual o vendedor passou a formar conceitos de valores desde a mais tenra inserção no universo profissional; enfim a ter sonhos e objetivos, desde os primeiros passos, orientados por pessoas que talvez não sejam as mesmas as quais estarão passeando pelo parque na figura de seu sucesso representada pelo dia de verão.

A atitude de reconhecimento da empresa no processo de formação são aspectos que interferem de forma positiva no desenvolvimento do vendedor e o comportamento dos titulares da área de venda, da mesma forma e eventualmente com a mesma intensidade, devem interferir em iguais parâmetros e ambos devem contribuir para que a personalidade do \”vendedor invisível\” não seja construída.

O incentivo, a participação, a demonstração palpável de reconhecimento por conquistas profissionais que pairam no horizonte do sucesso e certamente não são frutos de processos mecânicos, lineares ou orgânicos, desde a dedicação aos estudos até a conquista de prêmios profissionais, os quais objetivam contribuir para o despertar de novos talentos, transmitem a formação de valores indestrutíveis e proporcionam condições para o melhor desenvolvimento na construção do profissional do amanhã, mas da mesma forma na qual um produto depende das condições do solo para florescer, o vendedor precisa da oportunidade para descobrir seus talentos naturais.

Que sejam os incentivadores de movimentos que propiciam \”o solo profissional para o florescimento de talentos\” aqueles que estarão no mesmo parque, representando a mais longínqua das memórias no gramado do amanhã, saboreando as dádivas de um dia de verão e observando, com um sorriso de cúmplice satisfação, a família a passear, de mãos entrelaçadas e assim como o universo profissional, possam \”enxergar\” os talentos naturais do vendedor e agregar valores na formação do VENDEDOR VISÍVEL.

LLEAL
Bilingual Writer, Translator, English Professor