O turismo quer criatividade

O turismo quer criatividade

Santa Catarina é um Estado privilegiado. Tem um litoral com mais de 500 quilômetros com praias para surf, mergulho, pesca artesanal, observação de baleias, esportes náuticos ou dolce far niente sob o sol que brilha quase o ano inteiro. Mas se as temperaturas descem as atrações sobem a serra. É lá que está o turismo rural, os esportes de aventura, as vinícolas que se firmam entre as melhores do Brasil, a paisagem europeia de vales verdes cercados por rios e cascatas, as heranças dos colonizadores preservadas e cultuadas.

Algumas cidades catarinense se sobressaem e aparecem no ranking das mais procuradas pra o turismo de lazer, de eventos, de negócios. São os municípios que se preocupam e investem em infraestrutura, em profissionalizar o setor, em buscar alternativas para explorar com responsabilidade os seus potenciais. E se o turismo é um grande gerador de emprego, uma indústria limpa que garante excelentes índices de arrecadação, merece atenção especial e investimentos à altura da sua importância para a economia estadual.

Florianópolis está em vantagem neste panorama. É a capital brasileira com melhor índice de IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) e foi eleita pelos leitores da revista norte-americana Condé Nast Traveler como a mais hospitaleira do mundo. É um dos destinos mais cobiçados do Brasil e aparece mundo afora como sede de eventos como o IronMan ou festas que atraem os grandes nomes da cena eletrônica. Também é uma das preferidas para congressos internacionais, há anos estando entre as 10 primeiras no ranking da ICCA (Internartional Congress & Convention Association).

E independente dos motivos que atraem os turistas – negócios, eventos, lazer, esporte, cultura, religião – a cidade sente o peso da necessidade eminente e permanente da profissionalização. Outro fator em evidência é a atenção inevitável ao turismo criativo, para proporcionar, ao seu visitante, experiências sensoriais únicas e emocionantes. Aperfeiçoar as redes de serviços, focar na formação de pessoal e apostar em ações inovadoras como produtos turísticos é absolutamente importante. Para poder atender a demanda consequente da promoção do destino com potenciais receptivos longe das fórmulas convencionais.

Eugênio Neto
Presidente do Florianópolis Convention & Visitors Bureau e Diretor Mercadológico da ADVB/SC