Governabilidade x Corrupção: onde fica a ética?

Governabilidade x Corrupção: onde fica a ética?

Estamos vivenciando um momento de reflexão ética como nunca havíamos vivido na história brasileira. Em nome da governabilidade, temos aceitado desvioséticos e morais como se fosse usual e simples agir de maneira ilegal . No entanto, fica muito fácil e tranqüilo apenas discutir o tema sem que tomemosdecisões pessoais e profissionais que contribuam para a inversão deste quadro caótico. Temos que refletir se os fins justificam os meios e se, emnome disso, vamos continuar apoiando decisões ilegais e em alguns casos até agir desta forma.

Os desvios éticos em nome de um país melhor e mais justo parecem querer justificar a ilegalidade e a imoralidade que nos assolam. Pois bem, muito setem discutido, conversado e ensinado sobre ética e comportamento humano, mas na prática temos desmentido totalmente estes ensinamentos. Não é seguroafirmar que ampliar o número de alunos em sala de aula vai fazer este cenário mudar. Este cenário poderá mudar se, além disso, nós cidadãos, nóssociedade brasileira, agirmos de forma correta e determinada.

A corrupção, espalhada em diversas áreas do setor público, nos apresenta a falta de ética de quem oferece e de quem aceita alguma vantagem ilegal.Pequenos delitos são tratados como normais, “coisa pequena”, como se corrupção tivesse escalas. Nem vou falar dos grandes crimes contra o país,como desvios de recursos que deveriam ser usados para construir casas destruídas por tragédias naturais. Ficamos ao mesmo tempo estupefados,indignados e revoltados.

No entanto, os anos passam, a corrupção volta, os corruptores voltam, os corrompidos voltam. O que fazer? Bem, primeiro de tudo seja uma pessoacorreta, aja corretamente, conforme os princípios básicos da convivência em sociedade. Respeite a si próprio, respeite os outros, respeite o seu país,respeite a humanidade. Seja feliz! Gosto muito de um conceito que li sobre felicidade, que dizia: “a pessoa feliz é aquela que dorme bem”, cuja mentevaga livremente sem que tenha que continuamente se perguntar se estamos agindo com educação e corretamente com o mundo. Apenas relaxa e dorme. Quemaravilha, não?

Bem, na verdade convido-os a refletir sobre este tema que está ao nosso lado diariamente e, mais que isso, convido-os a serem pessoas felizes. Seja umapessoa correta, ou, como se diz hoje, uma pessoa do bem. Vamos em frente, ainda há muito o que fazer. Ainda bem, pois assim podemos construir, comhonra, a nossa história nesta passagem pelo planeta Terra. Sucesso!

Prof. Octávio René Lebarbenchon Neto – Fev 2013