Coaching Executivo: Líderes apostam nesta técnica para desenvolver carreiras de sucesso.

Coaching Executivo: Líderes apostam nesta técnica para desenvolver carreiras de sucesso.

BLOG – NOVOS LÍDERES

“O pessimista queixa-se do vento. O otimista espera que ele mude. O realista ajusta as velas”.
(William George Ward).

Os resultados das pesquisas são unânimes: as empresas acreditam não estar conseguindo reter seus talentos, apesar dos investimentos feitos em programas de identificação e retenção. Profissionais que realmente fazem a diferença possuem maior empregabilidade, por isso são mais independentes e podem se mover na velocidade de seu talento.

O incentivo ao espírito empreendedor e ao encorajamento da inovação nas empresas tem deixado a carreira cada vez mais na mão dos próprios profissionais. As diversas reestruturações organizacionais que os líderes: empresários, diretores e executivos tem enfrentado, abrem um cenário de incertezas e instabilidade profissional, o que me motivou a buscar duas formações internacionais na técnica de Coaching.

No meu trabalho como Executive Coach de líderes empresariais há 15 anos, identifiquei este como um dos melhores métodos para desenvolver novos líderes. Permite uma parceria que auxilia os coachees (quem se submete ao processo de coaching) a maximizarem o seu potencial pessoal e profissional, aperfeiçoando o desempenho, aprofundando o aprendizado e melhoram sua qualidade de vida. Os resultados são: maior autoconfiança e metas bem definidas, fatores importantes que estruturam os projetos de carreira para novos líderes.
Empresários e executivos apostam no coaching como metodologia para o desenvolvimento profissional, busca de maior satisfação pessoal e equilíbrio entre vida pessoal e profissional. Gestores bem sucedidos que desenvolvem este processo, apresentam planos individuais próprios com pouca propensão a permanecer em uma empresa caso não estejam sendo atendidas suas necessidades. Eric Schmidt, fundador do Google, após passar por um processo de coaching, relata “Todo mundo precisa de um coach.” Através desta técnica, os profissionais buscam oportunidades que apresentem desafios e abram perspectivas de desenvolvimento e qualificação. O “status do cargo”, desta maneira, perde gradativamente a importância. O topo da carreira não é mais no topo da hierarquia organizacional. Os profissionais que fazem a diferença buscam o foco no conteúdo do trabalho e no reconhecimento.

Para as organizações, é mais interessante oferecerem amplas possibilidades de carreira e perspectivas de crescimento e desenvolvimento, do que os aspectos salariais, embora estes pareçam os mais importantes. Profissionais em todo o Brasil, com certa freqüência, já saem das empresas que trabalham para outras, onde serão remunerados com salários menores, porém com maiores perspectivas de evolução e mais satisfação pessoal.
Além dos resultados de diversas pesquisas terem acusado o fator “ambiente organizacional” como um aspecto de atração e retenção de profissionais, tenho acompanhado gestores em processos de coaching que preferem trabalhar em organizações que oferecem um clima organizacional saudável e que utilize as novas políticas aplicadas na Gestão de Pessoas.
O perfil dos profissionais que “fazem acontecer”, estão visivelmente classificados, segundo William George Ward, entre os que já estão “ajustando suas velas”, para seguir o fluxo normal das mudanças corporativas, e mais, aproveitar as infinitas oportunidades que estas possam oferecer.
Na minha experiência com mais de uma centena de coachees, uma nova visão e surpreendente importância no desenvolvimento da própria carreira, é uma das principais origens da crescente procura pelos processos de Coaching Executivo, pelos profissionais de todas as especializações.

Fevereiro 2013.


Me. Simoni Missel
Diretora de treinamento da Missel Capacitação Empresarial
Professora e Coordenadora dos Cursos de Coaching Executivo da ESPM
Executive Coach
Mestre em Psicologia
www.espm.br