7 ações para vender depois da crise

No auge da crise do Coronavírus é fácil se pegar preocupado com o futuro. Normal, todos estamos.

A maior preocupação é que a gente não sabe como o mercado vai agir em relação a tudo.

As notícias de demissões em massa já começaram.

Os pequenos negócios que tiveram suas portas forçadamente fechadas já entram em histeria.

Alguns profissionais liberais buscam esse período para descansar, mas com a pulga atrás da orelha com o que está por vir.

E por fim, quaisquer fornecedores desses empreendedores ficam receosos se amanhã a parceria se manterá.

Estamos no meio de um caos, e é comum ficar apavorado.

Só que tem algo que você pode fazer agora que, talvez em qualquer outro momento, não seja possível.

Planejamento.

“Mas vou planejar o quê?!”

Planejar duas coisas principalmente:

– O durante a quarentena para garantir que você terá opção durante 3 tipos de cenários: pessimista, realista e otimista;

– E, naturalmente, o pós crise.

Essas sugestões são as que eu mesmo estou aplicando no meu negócio, sugerindo para meus clientes mais fiéis e recomendando aos meus colegas e amigos empresários.

Não tem jeito, vai ser desafiante para todo mundo.

Se o cenário pessimista da quarentena se estender por mais de dois meses de negócios com portas fechadas, aí a pandemia vira pandemônio para o Brasil inteiro.

Aí meu amigo e minha amiga, não tem jeito.

E se durar até dois meses, aqui vão algumas sugestões para que você saia melhor do que entrou nessa crise (acredite).

Mas antes de compartilhar essas sugestões, vamos falar um pouco de comportamento do ser humano durante a crise…

  1. Ele está assustado, em altíssimo grau de escassez, baixo amor próprio, baixa autoestima e pouco confiante do futuro
  2. Ou está rejeitando tudo que está acontecendo ao seu redor, ou está absorvendo toda essa onda de negatividade
  3. Não sabe o dia de amanhã: se vai ter emprego/empresa ou se vai ter que passar dificuldades

Portanto, saiba que pelo fato de mudar o cenário, mudam as prioridades também. Segundo a pirâmide de Maslow, as pessoas deixam de buscar questões de autoestima e começam a buscar segurança e coisas relacionadas ao fisiológico.

É como o ser humano reage, não tem como controlar. Só que uma hora isso passa.

O que acontece é que durante esse período, sempre existe um pingo de esperança na cabeça da maioria dos brasileiros.

A esperança de que o amanhã será melhor do que o hoje, por mais pessimista que esteja.

Por conta disso, ele navega nas mídias sociais, especialmente o Instagram, olhando coisas que remete a “vida ideal”.

E é aí que entra o seu negócio.

Você precisa entender exatamente como a cabeça do seu cliente ideal funciona e estar ali quando ele for buscar você.

Por esse motivo, aqui segue minhas recomendações para que você consiga fazer um “match” com seu cliente e estar cada vez mais forte no pós-crise:

  1. Instagram é a bola da vez, com ou sem crise. Seu cliente está lá, e sua comunicação também precisa usufruir disso. Entenda como ele funciona e o que ele está querendo nesse momento. É a etapa para criar conexão, não para vender desesperadamente
  2. Use sua base de clientes (e-mail, lista de WhatsApp, endereços, etc.) para fortalecer o relacionamento que você já tem com eles. Mostre que você se preocupa em como ele está nesse período e você jamais será esquecido.
  3. Aproveite essa etapa de planejamento e amplie seu mix de produtos. Afinal, se seu negócio tem um know-how específico, talvez consiga usar a inteligência criada para construir seu negócio atual para ampliar esse mix. Seja abrir aquele delivery que sempre quis abrir ou transformar seu atendimento em algo digital.
  4. O BNDES, BADESC, Bancos e outros órgãos federais, estaduais e municipais estão criando fundos para conter o vale da crise para os negócios. Alguns deles dão até 24 meses de carência para a primeira parcela. Faça esse empréstimo e invista desde já no seu melhor canal de vendas para garantir que seu negócio crescerá depois disso.
  5. Ligue para todos os seus fornecedores e renegocie prazos. Quem é do Simples Nacional o próprio governo já deu a oportunidade de pagar a parcela de Abril em Outubro, de Maio em Novembro e de Junho em Dezembro. Além disso, renegocie seu contrato de aluguel sob as mesmas condições e prazos. Afinal, o dono do imóvel não vai conseguir mais ninguém nesse período de pós crise. Por fim, negocie com seus fornecedores sem abusar, pois eles também são donos de pequenos negócios. Comece pelas empresas de software que conseguem ter uma flexibilidade maior por conta da escalabilidade e margem dos serviços.
  6. Aproveite para conhecer sua base profundamente e vender novos serviços. Faça Upsell e melhore sua proposta de trabalho com quem já é seu cliente hoje. Uma boa estratégia é você se juntar com outra empresa para aumentar o portfólio de produtos e colaborar uma com a outra.
  7. E por fim, se nada disso resolver a questão… você poderá reduzir a carga de trabalho da sua equipe com o objetivo de segurar os empregos, ao invés de mandar todo mundo para a rua, pagar os encargos e aumentar o rombo no seu caixa.

Se eu pudesse dar uma sugestão de prioridades na sua “Contas a pagar”, seria: funcionários, fornecedores e governo. Se for para atrasar o pagamento de alguém

Essas são somente algumas sugestões e estratégias emergenciais que qualquer dono de negócio ou gestor pode fazer nesse momento.

Brasil acima de tudo e Deus acima de todos.

#forçaBrasil

Luiz Gustavo Shoroeder Vieira – Diretor de Conectividade ADVB/SC